quinta-feira, 20 de novembro de 2008

ida

Não sei se de fato era isso o que eu deveria estar fazendo, mas é o que de fato me agrada e me acalma. Também não sei por que eu devo me acalmar, na verdade não sei por que estou nervoso, se é que seja isso o que eu esteja sentindo, será que estou cheio de nada ou vazio de muitas coisas? De fato não sei.
Também não sei por que tudo isso me incomoda, afinal, o que não me incomoda? Será que é o ambiente? Não creio, talvez a falta, mas a falta de que? Claro, agora tu me indagará; ou de quem não é? E daí te respondo; não, não mais de quem, por um momento realmente a falta era de alguém e eu reclamava pela falta, mas agora de alguma forma ate agradeço.
Todavia era esta a tal liberdade que eu queria, exato queria, pois agora me pego querendo perder a liberdade,talvez, mas te explico, é que de algum modo penso ser esta suposta prisão que me levará a liberdade que eu procuro a tempos, sim!!! Por que pensava eu ser a tal liberdade algo unitário, mas não!!! Percebi que existem mil formas da liberdade e por mais que tenha experimentado diversas, ainda não é a minha.
Então qual seria a minha? Onde estaria? Ou em quem estaria? Espero que outra vez algo que eu almeje não esteja em alguém(isso é terrível) parece quando seu time precisa do resultado de um outro time para ser campeão, não!!! Isso outra vez nem pensar.
Volto a não saber também se devo me conformar ou ir em frente, que seria; estabilidade(que sempre é estabilidade) ou, ok... vou arriscar mais uma vez(pode dar certo,mas também posso voltar a não ir muito bem) ate quando terei de lidar com estas possibilidades? Eu acho um porre tudo isso,poderia ser muito mais fácil(para mim é claro)
Sei lá, por que tenho que me aprofundar nas coisas sempre? Poderia ser assim; olha aquele livro é ótimo!!! eu ouviria,ficaria calado ou simplesmente diria: sim, ou que bom!!!
Mas não, eu tenho que continuar me relacionando com as interrogações, nossa, é um fado. Ok... confesso que elas me deram vários tesouros,sim, mas também o que elas me roubam, tanta coisa, inclusive o sono. Por que tenho de me preocupar tanto com elas? Por que não consigo apenas reconhecer-las como simples signos gráficos? Por que tenho de dar vidas a elas?
De fato não sei,entretanto de tanto não saber tenho aprendido muito com elas.

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Seja bem vindo!!!

Quando no lugar de quem; tu afirma hereges, torna-te humilde, todavia quando está em tua posição supostamente natural, volta-te á enforcar-lhes.....
Então quem está de fato com a razão; aquele que mesmo sem saber do que se trata a acusação, confessa, para que lhe extinga a dor, ou aquele que:
Usa dos argumentos, que ele próprio proíbe a divulgação, a favor da preservação da tua fétida vida....
Quem é mais meretriz, eu, que vendo o meu corpo, a minha carne, o meu gozo....
A favor da minha sobrevivência, ou por puro prazer, ou tu que vende terrenos no universo, ou simplesmente troca de imobiliária, afirmando que, o diretor da que dantes tu mesmo levantara a bandeira não mais está com a verdade.
Será mesmo que a verdade é tão fácil de ser atingida que passeie de mãos em mãos....
Já que tua autoridade é tão valida, por que teu deus não se apresenta, e nem peço muito não, não quero que venha ate a minha casa tomar um café ou que marque uma coletiva, não, nada disso, apenas quero que se identifique, não como se mostra, assim como os Cesar’s, apenas um cargo.
E quem assumirá os filhos dos teus filhos feitos em tua própria casa sagrada, quem é mais pecador; eu, que jogo vidas(como dizem) fora, ainda quando girinos, ou teus filhos, que fazem o mesmo,todavia esperam nove meses para que também jogue fora vida, quantitativamente, sim, eu sou um assassino em serie, mas talvez não me arrependa, por que ao menos ate hoje, nenhum espermatozóide sorriu para mim, porem as vidas que teus filhos jogam fora certamente já tem este dom de cativar o teu assassino com um sorriso sem dentes, mas sincero.
E então, o que me dirá, ahh!!! Esqueci, tu nunca diz nada não é, somente no dia do juízo final, sei como é, certamente eu não esteja mais por aqui, mas não se preocupe, que mesmo com tanta vida que eu jogo fora, ainda assim, haverá uma semente minha, já os teus supostos netos, não posso garantir... mas se tiver com tempo sobrando, dar uma olhada nos subterrâneos dos conventos, os encontrará por lá, ou ao menos, tuas frágeis ossadas.

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Fusca

Gostaria muito de saber o porque é tão sofrido de se escrever algo legal quando não se estar sofrendo...
Será que as palavras não gostam da minha felicidade... acho que não, deve ser por que elas sejam diabéticas, e as frases sempre saem demasiadamente açucaradas.
Mas que seja, resolvi desafiar-lhes, ou talvez não seja o desafio em si, mas apenas uma formar de demonstrar que podemos escrever quando felizes e segurar a mão do açúcar.
Pois bem.... o fato é que sim,depois de um tempo de caverna(que devem ter acompanhado)
Resolvi dar um passeio por aqui por fora, e por enquanto esta bem legal, confesso que ainda é diferente para mim, por conta dessa minha mania de certezas, mas o pouco certificado que tens me aparecido, tem sido de grande valia.
Claro que a pergunta estar bem nítida, o que e/ou quem é responsável por isso(interrogação)
Sim, os dois, tem um algo e também tem um alguém.... o algo é o meu desprendimento a toda aquela atmosfera de reclusa e estar de volta ao cheiro de gasolina, e o alguém,bem... este alguém realmente tem grande culpa,é evidente que não direi o nome,ate porque esta é minha confissão, mas basta ser relatado que és uma jovem, mas muito, muito legal...
E que ao contrario das outras, ela não permite que eu consiga entender o que pensa,todavia domina os meus pensamentos de maneira bastante confortável...
Também gostaria de fazer uma correção em um dito popular, que diz:
Todo ser humano deve plantar uma arvore,escrever um livro e ter um filho... mas aconselho-te:
Todo ser humano alem de plantar uma arvore, escrever um livro,ter um filho, deve sem nenhuma duvida namorar dentro de um fusca(fantástico).
Pois bem... por hora acho que esses são os escritos que devo expor, simples, sincero e sem muito açúcar por conta das palavras que nesta edição foram bem pacientes comigo, e que em breve estarei de volta para anunciar o plantio da arvore ou a publicação do livro ou a vinda de uma outra vida ate por que um velho amigo grego já me mostrou que o 3 é infinito.

sexta-feira, 22 de agosto de 2008

Com todo meu amor!

De certo não consigo compreender toda esta postura, todo este conforto e aceitabilidade,mesmo morando no húmus, não consigo aceitar tanta bondade de um lado e tanta preguiça de outro.
Não posso julgar quem se aproveita, pois as possibilidades existem para serem aproveitadas, ate porque comungo da idéia de somente sobrevivência do mais forte. O que de fato me incomoda, e acho ser uma atitude desprezível, é a fácil aceitação do dominado.
Não sei, se, é esta a verdadeira essência da culpa, todavia tenho verdadeiro nojo da gratidão, e é, justamente, neste horrível sentimento que habita a prova de quão medíocre é o ser humano, tanta bobagem, tanta potencia jogada no lixo.
Humildade, não precisamos disso,basta respeito, mas apriori faz-se necessário que se extinga esta busca metafísica. Balela, para que preservarmos algo que de exato não teremos acesso, enquanto que a polis definha, o que me basta de prazer não são os pecados em si, mas sim, ter consciência dos meus, isso sim. Não há nada mais pleno e sublime do que cometer pecados conscientemente, afinal, se não os fossem nossos de direito, para que tornai-vos possível.
Por fim, afirmo, sem nenhum medo, somente há duas forças regentes no mundo; a fé e o sexo, mas cuidado, nem sempre a luz é o caminho, mais comum do que se imagina, ela é o começo da cegueira.

segunda-feira, 21 de julho de 2008

Rackafel

se fosse por você ,mas é pelo mundo...passou o chão ou você não estava nele...passou o incêndio ,ou incendiou-se...estacione-se na arvore e podares tua garagem. Passaram-se sombras porque ás refletiam, e revelou-se...o festejo é continuo, em nós...machucados,aprendizados...passou a amizade,os amigos, eternidade...nosso beijo perfeito. Passou o ano,outro vem,Cronos é vivo. Passou o almoço,nos satisfazemos,somos sobremesa...passou tantas brigas,perdão!!! ha de vir...e eu ao teu lado. Eclipse, o nosso verão...viagens aonde sempre estivermos...conduzimos à... passou tanta musica,mas a nossa no carro...passaram madames,não as percebo...cordões e sapato e jeans molhado...passamos pelas estrelas,somos uma constelação...passaram teus sorrisos, eu os guardei para tuas crises...passou tantas fases,em nossa face...e eu a percebo. Passou o passado,por pouco não perco o futuro...passou o momento,todos são os nossos...passaram todos os sentimentos,o meu amadurece...passamos os limites,pois nunca foi o nosso, infinitos...a mais linda, passaram pessoas,elas contemplaram, passou saudade,sabemos de que...passaram os gostos, pela boca, espero que tenha gostado...passaram pássaros de encanto,encantado estou...passaram palavras,intuições ,nossas ideias as mesmas...passou a tristeza,voltou,ainda não estamos juntos...passam movimentos, ballet...passam os ciclos,os teus voltam, és fêmea ...passa as horas do relógio ,contigo ainda mais veloz...passam as luas,nos mexem,as luzes,aqui estamos...passa arrepios,a mão,passa emoção...vão.. sempre. Passou o choro,você esta lá ...e a injustiça,quem julga, a justiça, injusta...tanta coisa. passam as perolas,minha rosa vermelha...tem um chão nessa pedra... passam as memórias ! você! você! você! você! (...)passará o tédio , poesia...serás avó ...isso também vai passar...ainda vivos..tantas outras..o tempo em conta-gotas...passou o segundo... eterno ao seu lado...passou meus estilos... nossa certeza...passou pontos de vista, nos encontramos...afirmamos as nossas negações...eu e você. Passou as voltas,milhões delas...mas logo voltam, nós também... vão passando o tudo e o nada, estamos sendo...vamos nos encontrar...e eu a te admirar .